AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DO SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO DE UMA INDÚSTRIA DE
O objetivo do presente estudo foi avaliar o nível de desempenho do sistema de gestão de segurança e saúde no trabalho (SST) de uma indústria de espumas com a aplicação do SafetyCard – Performance
ERGONOMIA: 30 ANOS NO CONTROLO DAS DOENÇAS MÚSCULO-ESQUELÉTICAS
O objetivo deste artigo é apresentar a evolução, das últimas três décadas, da saúde e segurança no trabalho através da prática ergonómica na Visteon Portuguesa, nomeadamente nas unidades fabris de
REVISÃO DAS GRADES CURRICULARES NA FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DE SEGURANÇA DO TRABALHO, NO BRASIL
Houve necessidade de revisão das grades curriculares na formação dos profissionais de segurança do trabalho, no Brasil, de forma a se integrar temas relacionados com os fatores organizacionais e
HOP – HUMAN AND ORGANIZATIONAL PERFORMANCE - UMA NOVA VISÃO PARA A SEGURANÇA OCUPACIONAL
A atual gestão do sistema da segurança não está funcionando, pois, a redução dos acidentes não está a ser alcançado. Há que mudar! O HOP é uma filosofia que reconhece a segurança como uma propriedade
UMA REFLEXÃO TEÓRICA SOBRE O ASSÉDIO MORAL EM CONTEXTO LABORAL: QUANDO O QUE É NÃO PARECE E O QUE
O assédio moral laboral é uma situação complexa e multifatorial, que acarreta consequências graves para a saúde mental e física das vítimas, para as empresas onde ocorre e mesmo, para a sociedade em
ACIDENTES: A SINCRONICIDADE DO MAL
As organizações são sistemas dinâmicos e incorporam diferentes graus de imprevisibilidade. Hoje sabemos que é na organização do trabalho (e não tanto na individualização dos erros e das falhas) que
NOSSO DESTINO É ACERTAR!
Nos domínios do que conhecemos como Desempenho Humano e Organizacional (HOP – Human and Organizational Performance), aprendemos e somos muitas vezes testemunhas que no ambiente do trabalhador a
O MEU CHEFE É UM ALGORITMO: REFLEXÕES PRELIMINARES SOBRE A UBERIZAÇÃO DO TRABALHO
O novo formato de trabalho uberizado surgiu durante a última década e ainda está sem regulamentação ou legislação. Aos trabalhadores é vendida a ilusão de executar as suas tarefas com total
TELETRABALHO E SAÚDE MENTAL EM TEMPOS DE PANDEMIA
O teletrabalho sempre foi alvo de questionamentos com relação à necessidade de regulamentação e ao impacto na saúde física e mental do trabalhador. Em tempos de COVID-19, com a necessidade do
ANÁLISE BIBLIOMÉTRICA DE PUBLICAÇÕES SOBRE “SÍNDROME DE BURNOUT” NA BASE SCOPUS
A bibliométrica é importante para entender e interpretar o estado da arte de respectivo tema e a abordagem científica sobre ele. A síndrome de burnout é uma doença pouco explorada no âmbito da
O PAPEL DO LÍDER NA CULTURA DE SEGURANÇA
A cultura de segurança de uma organização é pautada nos valores, percepções, atitudes, competências e padrão de comportamento de indivíduos e grupos. Manter uma cultura de segurança de cuidado mútuo,
MELHORIA CONTÍNUA BASEADA EM GESTÃO DE COMPORTAMENTOS - BBL (BEHAVIOR BASED LEAN ®)
A gestão Lean através de comportamentos, designada Behavior Based Lean – BBL ® vai beber conhecimento à engenharia e às ciências sociais. Implementar as ferramentas Lean não é suficiente para
INVESTIGAÇÃO E ANÁLISE DE DOENÇAS PROFISSIONAIS, NA PERSPETIVA DA HIGIENE DO TRABALHO
As doenças profissionais assumem a maior parte da fatia (86,3%) de mortes ligadas ao trabalho, no entanto é de estranhar que tenham menor visibilidade no sistema de gestão de segurança e saúde no
A DEPRESSÃO LABORAL: ALGUNS CONTRIBUTOS PARA A SUA COMPREENSÃO
A depressão laboral pode ter consequências muito graves, sendo assim é relevante que este fenómeno seja compreendido em termos conceptual, sendo este distinto entre stresse e burnout, de forma que a
  • ERGONOMIA COGNITIVA: CONFIABILIDADE HUMANA E COMPORTAMENTOS SEGUROS. Reflexão sobre o Programa de Capacitação em Ergonomia Cognitiva com foco na Confiabilidade Humana

    ERGONOMIA COGNITIVA: CONFIABILIDADE HUMANA E COMPORTAMENTOS SEGUROS. Reflexão sobre o Programa de Capacitação em Ergonomia Cognitiva com foco na Confiabilidade Humana

    Pouco se sabe, porém, muito se atribui à questão do erro humano ou fator humano relacionado aos acidentes de trabalho. Nesse contexto, a implementação do “programa de capacitação em ergonomia cognitiva com foco na confiabilidade humana” é uma das possibilidades para fazer diferença na mudança de comportamento. Esta pesquisa é do tipo revisão sistemática de literatura sob a perspectiva de estudo explicativa. O estudo evidenciou que este programa é viável e favorável à empresa que deseja prevenir e/ou diminuir os acidentes de trabalho por erro humano.

    Read More
  • FATOR HUMANO – COMPLEMENTARIDADE E INDEPENDÊNCIA ENTRE SAFETY I & SAFETY II RESULTA EM SAFETY III

    FATOR HUMANO – COMPLEMENTARIDADE E INDEPENDÊNCIA ENTRE SAFETY I & SAFETY II RESULTA EM SAFETY III

    A abordagem Safety I baseada pela gestão de eventos que dão errado, tornou-se desadequada nas organizações atuais, mais complexas, interdependentes e de difícil decomposição. Surge a abordagem Safety II, que gere a segurança através da avaliação, investigação e análise de eventos que dão certo. A gestão do fator humano em Safety I é apresentado como um risco, entretanto, em Safety II é visto como um recurso necessário para a resiliência do sistema. A autora realizou um estudo exploratório, durante o ano de 2019, no setor da aviação, num contexto organizacional sociotécnico onde são aplicadas as abordagens Safety I & Safety II. Entre outras conclusões, a variabilidade não esperada no exercício da atividade é uma realidade, e, as decisões e os ajustes de sucesso realizados pelos trabalhadores para dar resposta a essa variabilidade também. Assim, a autora defende que há necessidade e possibilidade de um equilíbrio complementar, embora independente, entre a abordagem Safety I & Safety II, que ela designa por Safety III. No fim do artigo, são identificadas algumas práticas que concretizam este equilíbrio.

    Read More
  • GAMIFICAÇÃO COMO TÉCNICA DE APRENDIZAGEM EM SEGURANÇA NO TRABALHO

    GAMIFICAÇÃO COMO TÉCNICA DE APRENDIZAGEM EM SEGURANÇA NO TRABALHO

    Atualmente, as mais diversas áreas, incluindo a segurança no trabalho, estão adotando a tendência de engajar pessoas por meio da lógica dos jogos, a chamada – gamificação. Gamificação é um termo aportuguesado adaptado do inglês (do original gamification) que consiste no uso das mecânicas dos jogos para despertar o engajamento de um público específico. Há elementos essenciais que devem de ser considerados e erros que não devem ser cometidos, no planeamento e implementação desta técnica. A essência da gamificação é trazer a participação e o conhecimento do colaborador para o centro da atividade, deixando de ser um mero elemento passivo e assumindo o protagonismo que lhe cabe. Bons resultados são encontrados entre o “casamento” da gamificação e tecnologia.

    Read More

Interajuda ...

A Revista Segurança Comportamental tem vindo a colaborar com a Revista Angolana “Risco Zero”. Destacamos o empenho e a dedicação dos dirigentes e staff desta revista, sendo por isso, uma revista referenciada em segurança e saúde no trabalho, em Angola. Aceda aos conteúdos de todas as edições, ...

Hide Main content block

Segurança Comportamental

A revista Segurança Comportamental é uma revista técnico-científica, com carácter independente, sendo a única revista em Portugal especializada em comportamentos de segurança.

Social Share

Pagamentos

# # # #


 

Top
We use cookies to improve our website. By continuing to use this website, you are giving consent to cookies being used. More details…

REGISTE-SE

Tenha a oportunidade de aceder com celeridade às nossas publicações!